Adriano Gabiru

Adriano Gabiru

Carlos Adriano de Souza Vieira

Adriano Gabiru
Ele pintou a Terra de vermelho

Por Marcos Bertoncello (matéria publicada na edição 58 da Revista do Inter)

De uma família pobre de Maceió a herói do Inter no Japão. Sim, o futebol é capaz de corrigir injustiças sociais. E Carlos Adriano de Souza Vieira, ou bem mais conhecido como Adriano Gabiru, é uma prova disso. Como não se lembrar de sua entrada no lugar de Fernandão na final do Mundial de Clubes em 2006 contra o Barcelona? Não há maneira de esquecer a arrancada de Iarley no contra-ataque do Inter e seu passe para ele dentro da área. Foram seis minutos em campo e Adriano Gabiru estufou as redes dos espanhóis, marcando o gol da vitória, ou melhor, da maior das glórias para o Internacional: o título mundial da Fifa.


Gabiru é só emoção após gol histórico contra o Barcelona

“Foi um momento mágico para mim, mas prefiro, e sempre digo em todas as entrevistas que concedo, ressaltar a importância do grupo em todos os contextos possíveis daquela temporada. Quem ganhou foi o time e, principalmente, a torcida. O grupo era excelente. Estamos todos na história do clube e isso é extremamente gratificante”, ressalta o homem da camisa 16 no Japão.

Quando Inter e Barcelona empatavam em 0 a 0, Abel Braga chamou Gabiru. O jogo já havia passado da metade do segundo tempo. O meia entrou e substituiu Fernandão aos 30min da etapa final. Bastou seis minutos para ele marcar o gol mais importante da história do Internacional. Toque de Iarley e chute na saída do goleiro espanhol Victor Valdés, 1 a 0. Na recepção apoteótica em Porto Alegre, os gritos de “Melhor do mundo é Adriano Gabiru!” evidenciavam o nascimento de um ídolo, um ídolo eterno. “É um fato que ficará para sempre na minha vida, na dos colorados e na história”, reflete.


Gabiru e a taça do Mundial FIFA

Começo difícil

Adriano Gabiru iniciou sua carreira no futebol justamente em Alagoas. Seu primeiro clube foi o CSA, em 1997. “Foi o clube que me deu a primeira oportunidade e onde eu comecei a conhecer uma série de treinadores. Lá, tive o maior incentivo na carreira”, conta. O jogador se transferiu no ano seguinte para o Atlético-PR. Teve uma passagem rápida no Olympique de Marseille, da França, em 2000, mas logo voltou ao time de Curitiba para conquistar seu primeiro grande título: o Brasileirão de 2001. A vitoriosa campanha lhe rendeu a primeira convocação para a Seleção Brasileira.

Gabiru logo foi negociado com o Cruzeiro, no qual permaneceu nas temporadas 2004 e 2005. Um ano depois, chegou ao Internacional, no qual ganhou títulos, respeito e idolatria.



Voltar
Loja Virtual