Osvaldinho

Osvaldinho

Osvaldo Castilho Trindade

A trajetória de Osvaldinho no Clube do Povo
Atleta esteve presente na conquista de 1961, quebrando um jejum de títulos do Internacional

Por Eduardo Cardozo e Letícia Fagundes (matéria publicada na Revista do Inter/Edição 79)

Osvaldo Castilho Trindade, o Osvaldinho, nasceu na cidade de Itaqui, no dia 30 de agosto de 1937, mas se considerava uruguaianense de coração. Revelado pelas categorias de base do Ferro Carril, profissional do Sá Viana, Osvaldinho veio em 1958 para o Internacional, onde atuou por seis temporadas. O ex-meia-esquerda foi titular absoluto da sua posição, sendo campeão Gaúcho em 1961. Na época, era treinado por Sérgio Torres. Foi no antigo estádio dos Eucaliptos que o meia escreveu seu nome na história colorada. O Internacional quebrava uma sequência de cinco títulos seguidos do Grêmio e representaria o Rio Grande do Sul na Taça Brasil 1962. O Campeonato Gaúcho de 1961 seria a única conquista colorada em um espaço de 13 anos (1955 a 1968).

O maior momento de Osvaldinho no Clube foi na conquista do Campeonato Gaúcho de 1961. Osvaldinho iniciou sua carreira com apenas 14 anos, no Esporte Clube Ferro Carril, levando o clube à conquista do Campeonato Citadino. Em 1953, Osvaldinho foi transferido para o Sá Viana, onde passou cinco anos disputando campeonatos regionais e internacionais.

1952 – Esporte Clube Ferro Carril
1953 – Sá Viana Futebol Clube
1958 – Sport Club Internacional
1963 – São Paulo Futebol Clube
1965 – XV de Piracicaba
1967 – Flamengo de Caxias (atual SER Caxias)
1968 – Esporte Clube Metropol (Criciúma)

O ano da glória

Destacou-se na equipe uruguaianense e, logo após, foi contratado pelo Sport Club Internacional. Chegou à capital gaúcha no inverno de 1958. Na ausência de jogadores da posição, Osvaldinho foi colocado na meia-cancha, onde acabou se destacando e ajudando o Internacional.

Para o vice-presidente de relações sociais do Clube, Gelson Pires, o time de 1961 foi um marco na história do Internacional, uma nova era para todos os colorados. O título gaúcho não poderia escapar naquele ano. “O maior rival tinha vencido os últimos cinco campeonatos estaduais, a hegemonia de conquistas era grande. O Internacional precisava voltar a vencer”, disse.

Para Gelson Pires, o Gauchão de 1961 mudou para sempre o Internacional. “O título de 1961 foi importante, pois o Internacional poderia deixar o maior rival igualar um feito que só o Clube do Povo tinha até o momento, que foi o Hexacampeonato (1940 a 1945). Era um time excepcional e que afirmou ainda mais o Internacional como um grande clube”, sintetizou. De acordo com o vice-presidente, o Internacional estava muito dedicado no ano de 1961, pois precisava vencer de qualquer maneira o Campeonato Gaúcho. “Eu acompanhava o Internacional desde 1955, mas em 1961 eu estive do lado do time, mais perto do que nunca. Recordo que eu assistia a todos os treinos e jogos do Inter, onde o time jogava a torcida comparecia em grande número. Osvaldinho era um jogador menor, mas muito inteligente, serelepe, um jogador que pensava na meia-cancha, ele que alimentava os atacantes do time”, afirmou Pires.

A final do regional ocorreu na cidade de Pelotas. O Internacional venceu a partida contra o time da casa por 2 a 1, sagrando-se campeão Gaúcho de 1961. “Foi um jogo dificílimo, mas com toda força da torcida e do time maravilhoso que o Internacional tinha, conseguimos vencer. Depois, fomos atacados em Camaquã, onde o consulado preparou uma festa por causa do título conquistado”, enfatizou Pires.

Segundo Gelson Pires, o Osvaldinho era uma pessoa humilde e com muito respeito, era querido por todos dentro do Internacional. “O Clube do Povo agradece ao Osvaldinho pelo empenho e dedicação do nosso querido atleta, ele merece todo respeito de nós. O Clube só é grande porque em anos atrás, jogadores como o Osvaldinho se dedicavam integralmente ao Clube”, afirmou Pires.

O grande amigo Kim

Um dos melhores amigos de Osvaldinho, Alci Martha de Freitas, o Kim, 80 anos, lembra que o ex-meia do Internacional era um atleta de muito bom humor, que se relacionava muito bem com todas as pessoas ligadas ao Internacional. “Ele era um rapaz feliz, sempre de bem com a vida, contagiava todos os outros do grupo”, afirmou Kim.

O ex-companheiro de time lembra que Osvaldinho foi titular em toda  a campanha do Campeonato Gaúcho de 1961. “Osvaldinho foi titular em todos os jogos do estadual daquele ano, era o destaque da equipe ao lado de Sapiranga, goleador da memorável conquista do Gauchão de 1961”, sintetizou.

Logo após o título de 61, os principais jornais de Porto Alegre exaltaram o título do Internacional, que até o momento, era o único hexacampeão gaúcho. “Eu lembro que o Grêmio queria ser hexa, feito que o Inter já tinha conquistado em 1945. Lembro da famosa frase ‘Campeão do Hexa Deles’”, conclui Kim. Osvaldo Castilho Trindade morreu no dia 18 de julho de 2012, aos 74 anos.



Voltar
Loja Virtual